PORTES GRÁTIS PARA PORTUGAL CONTINENTAL

(em compras superiores a 15€)

PORTES GRÁTIS PARA PORTUGAL CONTINENTAL (em compras superiores a 15€)

  • 0 Items - 0,00
    • Carrinho vazio.

Shop

16,91

Preço fixo até 29/02/2020 (?)

Preço livre (?)

A Dança do Rapaz Branco

Uma comédia literária caleidoscópica sobre um afroamericano incomum à procura da sua identidade, de algum modo, estranhamente familiar.

Em stock

Também disponível em EBOOK nas seguintes lojas:

pgn_btn_3
pgn_btn_5
pgn_btn_1b

Caraterísticas

Chancela

Autor(a) Paul Beatty

ISBN 9789898864253

Data de publicação Março de 2018

Edição atual 1.ª

Páginas 288

Apresentação capa mole

Dimensões 153x235x14mm

Género Ficção, Literatura

Partilhar

«Se um magnata do cinema comprar os direitos cinematográficos da minha vida, a sinopse da TV Guia dirá: Na luta pela liberdade, um jovem poeta relutante convence os negros americanos a abandonarem a esperança, e a matarem-se num final trágico e explosivo. Cheio de gargalhadas e diversão. Alguma violência e linguagem não indicadas para crianças.»

Gunnar Kaufman, descendente de uma longa linha de homens que detesta, desde escravos a cobardes que ajudaram a assassinar Malcolm X, viveu a sua infância protegido na tranquilidade branca de Santa Monica, longe de problemas. No entanto, depois de ele e as suas irmãs se terem recusado a ir para um campo de férias para crianças negras «porque elas são diferentes de nós», a mãe muda-se imediatamente com eles para a zona oeste de Los Angeles, de modo a que os filhos estejam em contacto com a cultura que começam a negar.

E é assim que Gunnar, futuro poeta, péssimo dançarino, conquistador avesso e fenomenal jogador de basquetebol, dá por si a aprender a ser quem é entre os gangues, os motins, os estereótipos, a violência e a beleza das ruas e da vida negra nos Estados Unidos dos anos 90.

Primeiro romance de Paul Beatty, A Dança do Rapaz Branco é uma comédia literária caleidoscópica sobre um afroamericano incomum à procura da sua identidade numa América caricatural mas, de algum modo, estranhamente familiar.

«Um daqueles romances repletos de energia e de uma linguagem deslumbrante. Beatty é um escritor de imaginação fértil a seguir.» - The New York Times

«Beatty é um talento original e irreverente.» - The Times

Relacionados